quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Entrevista com André #4

André chegou para a entrevista de hoje um tanto ressabiado, com as mãos no bolso. Com um copo de suco de maracujá na mão, sentou-se ao meu lado e chupou o suco do início a além do fim. Além do fim porque depois que terminou, tentou chupar o que não tinha, fazendo aquele barulho que denota má educação. E começou a olhar para mim.

Eu: Não vai pedir desculpas por ontem?

André: Eu não gosto de pedir desculpas. Melhor do que pedir desculpas é dizer que isso não vai se repetir. Sim?

Eu: Ok, mas não sei se os leitores vão gostar disso.

André: Olha. A preocupação com o leitor é um modo de não se preocupar com ele. Porque se você escreve o que ele quer, vai escrever um texto ruim, de segunda qualidade, porque o leitor é provavelmente ruim e gosta de textos de segunda qualidade. Agora, se você não se preocupar com ele, escreverá textos ótimos, de primeira qualidade, que ele realmente precisa. O que num primeiro momento desagradará o leitor, lhe fará bem. O leitor precisa que escrevam cagando para ele!

Eu: É por isso que tem gente que escreve do banheiro?

André: Eu nunca escrevi no banheiro. Nem vem!

Eu: Ok. Tem uma pergunta que muita gente tem feito, e nada mais adequado do que lhe transmitir: É possível anunciar no seu blog?

André: Não.

Eu: Nem no seu jornal? Nada?

André: Não. É muito engraçado. Parece que tudo tem que ser feito para ganhar dinheiro. No meu jornal, a minha publicação, na verdade, o Umaisum, todos dizem: - "Tem que ter anúncio!" Mas meu chapa, um anúncio seria um estupro ao jornal. E não é que ele tem cu, que tem que ser estuprado. Porque eu tenho um exorbitante defeito: o de não fazer todas as coisas da minha vida para falar que fiz ou para ganhar dinheiro. Para ganhar dinheiro é que eu trabalho seis horas por dia. Agora, nas outras coisas eu não preciso ganhar dinheiro. E sempre dizem que eu tenho que ganhar dinheiro com isso... Esse tipo de gente deve ver uma pessoa bonita e dizer: - "Nossa, seu corpo é bonito! Dá para ganhar um dinheirão! Por que você não se prostitui?"

Eu: Sei, sim. Isso acontece muito comigo, na minha publicação, o Umaisum.

André: Nossa, eu tenho uma publicação com o mesmo nome que a sua!

Eu: Já tinha ouvido falar. Bem. Amanhã se encerra a semana com publicações no blog somente de entrevistas suas com você mesmo. Quero lhe fazer uma pergunta. Por que você se entrevista?

André: O que eu faço escancaradamente, as outras pessoas fazem escondido. É assim. Eu reparo que a maioria das pessoas com quem converso perguntam-me uma coisa para falar delas mesmas. Por exemplo: - De que tipo de música você gosta, André?

Eu: Eu gosto de Bidê ou Balde, Adriana Calcanhoto, não sei dizer...

André: Bem, eu gosto de Cássia Eller, Jota Quest, Beethoven, gosto muito de música gospel também, mas para ouvir aos sábados, sabe? Gosto de Led Zeppelin, de Beatles...

Eu: Ahhh.. Entendi! Você não queria ouvir a minha resposta, queria dizer a sua.

André: Isso! Aqui eu pergunto para mim mesmo diretamente. Não preciso usar ninguém. Quer um golinho de suco?

Eu: Não, brigado.

André: Ah, ainda bem que você não quer! Porque não tem mais!

Um comentário:

bruno disse...

Esse tipo de gente deve ver uma pessoa bonita e dizer: - "Nossa, seu corpo é bonito! Dá para ganhar um dinheirão! Por que você não se prostitui?"



acho que eu ficaria lisonjeado se me dissessem isso.