sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Assalto 2

É claro que eu ando distraído. Eu ando devagar, a minha letra é ruim, eu esbarro nas coisas e não sei falar direito.

Porque quando estou fazendo essas coisas, penso em outras mais importantes. Quando escrevo, não posso pensar na letra. Porque se eu pensar na letra, posso perder o pensamento. E o pensamento é muito mais importante para o resto da humanidade do que a minha letra.

A garota que trabalha comigo disse que os gênios têm letra ruim - me citando como exemplo, claro. No meu caso é por conta disso.

Mas eu andava distraidamente no centro, quando pensei: - Preciso andar rápido, pode ser que me assaltem. Mas o pensamento não durou quase nada - ou eu ando devagar mesmo aumentando a velocidade.

Ou ainda não adianta andar rapidamente para evitar assaltos.

- Continua andando, continua andando!

O sujeito falou muito perto de mim. E eu continuei.

- Pega seu celular.

- Agora pega sua carteira, tira todo dinheiro que tem dentro e me dá.

Dei-lhe o dinheiro e, quando os dois estavam indo embora, satisfeitos, perguntei ansioso:

- E o celular?!

- O celular, você fica.

Morri de dó dos rapazes. Uma senhora que trabalha comigo, é claro que vai dizer que os assaltantes são uns canalhas mau-caráter.

Mas só tem estes atributos, pessoas que se alimentam. Pessoas que não se alimentam, não são pessoas. São bichos que têm que fazer de tudo para comer.

E eu morro de dó de bicho.

Um comentário:

mi do carmo disse...

é... eu já fui assaltada 4 vezes em 6 anos e minha casa roubada uma vez (como não tinha nada de valor alto, levaram minhas pobres roupas).. é uma sensação ótima, não é? Isso porque eu moro no interior da Bahia...Mas dizem mesmo que no interior tem mais bichos e dos mais selvagens.