quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

André Cintra perde seu guarda-chuva em lanchonete movimentada

Não foi desta vez que o guarda-chuva preferido de André Cintra foi perdido. Por pouco.

Na tarde desta quinta-feira, ao almoçar um sanduíche de pernil com Coca-Cola em uma movimentada lanchonete da zona central de São Paulo, André Cintra esqueceu seu quarda-chuva enorme no balcão, para reencontrá-lo cerca de vinte e cinco minutos mais tarde, sem danos.

"Eu estava com a pasta do Umaisum e conversava animadamente com meu irmão", diz André. "Além disso, me preocupava em pegar meu Vale-Refeição dentro da minha carteirazinha!".

O guarda-chuva permaneceu na lanchonete enquanto André mostrava as redondezas do Centro para seu irmão e o levava até o metrô. "Nem senti falta! Andava tranqüilamente. Porque guarda-chuva é grande e incomoda de andar. Essas coisas, a gente não percebe quando perde, porque é assim com incômodos: - A gente só os vê quando chegam. Incômodos saem à francesa", revela.

E foi fazendo o caminho de volta do metrô, rumo ao trabalho, que percebeu que estava sem o guarda-chuva. "Eu vi um moço vendendo guarda-chuva. Pensei: ainda bem que tenho o meu, que esse aí tá muito caro! Mas cadê o meu?!" Estava na lanchonete.

Então André foi à lanchonete, onde encontrou seu guarda-chuva com relativa confusão. "Primeiro perguntei para um garçon que estava lá sem fazer nada. Ele procurou junto comigo e não achou nada. O servente também não sabia de nada!", informa André. "Mas aí um freguês que estava almoçando disse que tinham guardado nos fundos. Aí sim encontrei."

André tinha outro guarda-chuva, mas foi jogado fora pela mãe pelo péssimo estado de convervação.

3 comentários:

Juliana disse...

Nossa, isso aconteceu várias vezes comigo (perder o guarda-chuva)..
Mas, infelizmente, nunca tive a sua sorte.

Juliana disse...

(a sorte de encontrá-lo)

Juliana disse...

( encontrar o guarda-chuva, eu quis dizer, não vc)